Trata-se de um projecto destinado a criar uma alternativa mais segura para o caminho que os peregrinos fazem a pé até ao santuário de Fátima Trata-se de um projecto destinado a criar uma alternativa mais segura para o caminho que os peregrinos fazem a pé até ao santuário de Fátima D. R.

Oliveira de Azeméis, 17 de Fevereiro de 2016 

Por Redacção

Oliveira de Azeméis vai ter peregrinos fora das estradas nacionais

A Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis subscreveu, com mais 13 municípios, a constituição da associação “Caminhos de Fátima”, um projecto destinado a criar uma alternativa mais segura para o caminho que os peregrinos fazem a pé até ao santuário de Fátima.
A segurança dos peregrinos é muito importante e a nossa adesão ao projecto tem a ver com essa necessidade uma vez que o nosso município é atravessado por milhares de caminhantes e nem sempre são acauteladas as questões de segurança”, afirma Hermínio Loureiro, presidente da autarquia.“Temos procurado criar condições logísticas de apoio no que se refere ao alojamento temporário e à assistência mas a nossa preocupação agora recai sobre a segurança dos peregrinos”, explica o autarca.

A urgência de garantir outras condições aos caminhantes levou a autarquia “a não hesitar um segundo em aderir a um projecto que, esperamos, tenha obra no terreno nos próximos tempos para que a vinda do Papa Francisco a Fátima, em Maio de 2017, coincida já com a existência de um caminho alternativo para todos os que se deslocarem ao santuário”.

Além de Oliveira de Azeméis, integram a associação os municípios de Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Coimbra, Condeixa, Leiria, Mealhada, Ourém, Pombal, Santa Maria da Feira, S. João da Madeira, Soure e Vila Nova de Gaia.