Presidente da APCOR realça a ambição da fileira da cortiça Presidente da APCOR realça a ambição da fileira da cortiça D. R.

Economia, 26 de Novembro de 2015 

Por Redacção

Sector da cortiça quer exportar produtos no valor de mil milhões de euros

João Rui Ferreira, o presidente da APCOR (Associação Portuguesa da Cortiça), anunciou o desígnio sectorial de “chegar aos mil milhões de euros” em termos de valor anual de exportações de rolhas e de outros produtos em cortiça.

O responsável falava na sessão de encerramento e de balanço, realizada no Centro Multimeios, em Espinho, da segunda edição da “Intercork”, a campanha de “Promoção Internacional da Cortiça”, que, entre Dezembro de 2013 e Junho deste ano, com um orçamento de 7,3 milhões de euros, promoveu a cortiça nos maiores mercados mundiais.

Com olhos já na terceira edição – está estruturada uma candidatura ao novo quadro comunitário de apoio para o efeito -, vincou a decisão de prosseguir o caminho que visa “solidificar a cortiça como marca mundial”.

O “Intercork II” desenvolveu-se através de 12 campanhas realizadas em 10 países: Estados Unidos da América (EUA), Canadá, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suécia, Dinamarca, China e Brasil.

Carlos de Jesus, o director-operacional, destacou os pontos fortes de um trabalho que reforçou a estratégia contínua de recuperar e ganhar mercados para a rolha de cortiça, ao mesmo tempo que também visou incrementar a presença dos materiais de construção e design em cortiça em mais mercados. Os produtos inovadores feitos nesta matéria-prima portuguesa foram, igualmente, destacados.

Uma centena de profissionais – da cortiça e da comunicação – assumiram esta grande campanha internacional, que envolveu 12 agências de comunicação.

O director apontou alguns dos números marcantes da segunda edição do “Intercork”, nomeadamente os 71 eventos realizados, as 30 acções educacionais promovidas e os 130 jornalistas internacionais que vieram ao nosso país visitar o mundo da cortiça.

Sublinhou que as visitas deram origem a trabalhos jornalísticos altamente favoráveis a estes produtos “made in Portugal” – mais de 70 mil artigos publicados.

Carlos de Jesus e João Rui Ferreira exortaram os empresários portugueses do ramo a usarem muitos dos materiais promocionais – vídeos, testemunhos, publicidade – nas suas surtidas comerciais, reforçando a campanha e colhendo benefícios para as suas empresas.

Segundo números relativos ao ano de 2014, o sector da cortiça vendeu para o exterior produtos no valor de 846 milhões de euros, conseguindo um superavit na balança comercial (diferença entre exportações e importações) de 718,3 milhões de euros.

Em 2009, as exportações da fileira tinham garantido receitas no valor de 698 milhões de euros. Recorde-se que em 2010 foi lançada a primeira edição da campanha de promoção internacional.

Nesta indústria, 650 empresas, empregam nove mil trabalhadores, que produzem 40 milhões de rolhas por dia, além dos outros produtos em cortiça.