Festival de teatro de rua de Santa Maria da Feira está agendado para 22 e 23 de Maio. Com a presença de 19 países, o certame apresentará 250 artistas, que protagonizarão 172 performances Festival de teatro de rua de Santa Maria da Feira está agendado para 22 e 23 de Maio. Com a presença de 19 países, o certame apresentará 250 artistas, que protagonizarão 172 performances D. R.

Cultura, 16 de Abril de 2015 

Por Redacção

IMAGINARIUS dialoga com os mundos da criatividade

O espectáculo “MUARE”, da companhia hispano-argentina “Voalá”, é “o grande destaque” da edição deste ano do IMAGINARIUS. A 15ª edição do Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira vai realizar-se nos dias 22 e 23 de Maio, como sempre, no centro histórico da cidade.

Programado para as duas noites do certame, aquela performance vai apresentar “um diálogo” entre um concerto e o “teatro aéreo” que se desenrola “num ambiente psicadélico e de rock convulsivo”.

Gil Ferreira, vereador da cultura do executivo santamariano, ainda destacou o espectáculo “MARABUNTA”, uma parceria entre o catalão Guillem Alba e “The All In Orchestra”. É um show de “clown enérgico”, com banda musical ao vivo.

Nos dois dias, o IMAGINARIUS’2015 apresentará 172 performances, protagonizadas por 49 companhias e projectos artísticos, integrados por 250 artistas. Incluindo Portugal, estarão representados nas ruas de Santa Maria da Feira 19 países.

Esta edição assume-se como “circular”, dotada de “uma perspectiva aberta ao mundo”, e multiplica-se em três secções de programação: as companhias convidadas, o “Mais Imaginarius” e o “Imaginarius Infantil”. O orçamento é de 225 mil euros.

Emídio Sousa vincou a dimensão crescentemente internacional desta organização, que soma aos outros grandes eventos culturais do concelho. “Hoje, somos uma terra do mundo inteiro”, sublinhou o presidente da câmara.

O seu vereador acentuou a componente de “diálogo” inerente à programação definida. O diálogo com a comunidade, com as indústrias culturais e criativas e com as dimensões inter-culturais que têm emergido.

Gil Ferreira ainda relevou as oportunidades que começam a aparecer para projectos concelhios, tendo anunciado que uma criação a sair do workshop “Se esta rua fosse minha”, ministrado por 16 especialistas internacionais de teatro de rua, irá a Rennes, em França, e, depois, a conferências a Berlim e a Varsóvia.  O espectáculo “Lullaby”, da companhia “Cão à chuva” tem apresentação marcada para Sevilha, para o pós-festival.

IMAGINARIUS “todo o ano” foi outro dos conceitos destacados pelos responsáveis pelo evento, que enfatizaram as oportunidades dadas aos artistas locais e que elegeram a “formação de públicos” como vector que não será – como não tem sido – descurado.