A clínica “Lenitudes” é inaugurada na próxima quarta-feira, assumindo-se como unidade de ponta no combate às doenças oncológicas. Também apostará em outras especialidades e na investigação A clínica “Lenitudes” é inaugurada na próxima quarta-feira, assumindo-se como unidade de ponta no combate às doenças oncológicas. Também apostará em outras especialidades e na investigação D. R.

Santa Maria da Feira, 2 de Fevereiro de 2015 

Por Alberto Oliveira e Silva

Feira ganha um “espaço de vida”

Na próxima quarta-feira, Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, o primeiro-ministro, Passos Coelho, presidirá à inauguração da clínica “Lenitudes”, um “Centro Médico e de Investigação” localizado junto ao Europarque, em Santa Maria da Feira.

Destinada principalmente ao diagnóstico e tratamento de doenças oncológicas, a unidade privada também estará vocacionada para a abordagem a outras patologias.

Será um organismo vivo”, definiu Francisco Pimentel, o director clínico da Lenitudes. Prometeu qualidade e precisão no atendimento, diagnóstico e tratamento, com recurso não só a profissionais de qualidade, mas também a tecnologia de ponta – máquinas “estado da arte”, que o mesmo é dizer o “último grito”.

Não haverá dois tratamentos idênticos”, sublinhou Pimentel, prometendo “fato à medida” das necessidades de cada utente/doente.

O director definiu um clínica multidisciplinar, que prestará cuidados seguros e “atempados”, criando, no processo, “mais conhecimento em saúde”.

Com óbvia paixão, o doutor Pimentel apresentou à imprensa as várias áreas e serviços do centro médico, realçando as vantagens dos modernos equipamentos instalados no serviço de “Medicina Nuclear”, que tratarão “em menos tempo” e com precisão, indo ao tumor e poupando as áreas envolventes, assim como as funcionalidades de ponta das máquinas da Imagiologia, que vão “diminuir incertezas nos exames médicos”, produzindo “mais rigor no diagnóstico”.

A Cirurgia de ambulatória, “bem equipada”, e Hospital de Dia, dotado dos fármacos mais actuais, também foram apontados como serviços de excelência.

Temos um conjunto de equipamentos para um conjunto de pessoas muito boas tecnicamente para tratar pessoas”, vincou sobre os meios e profissionais de saúde que se ocuparão dos doentes. Deixou “o compromisso” de uma unidade que fará por “ser cada vez melhor de dia para dia”.

Sobre as especialidades não-oncológicas, referenciou a cardiologia, a neurologia e a psiquiatria como áreas de eleição.

Francisco Pimentel ainda deu a notícia de que já está alinhavado um projecto de investigação na especialidade de cardiologia, em parceria com a Universidade de Vancouver, do Canadá, e com uma universidade alemã. Salientou que fará regressar ao nosso país um jovem investigador.

Não fazia sentido fazer um projecto que fosse, apenas, mais um”, vincou o administrador Hélder Silva, a respeito deste investimento de 20 milhões de euros, que implicou “convencer pessoas relevantes a nível internacional”, que apoiaram financeiramente.

Disse que só assim foi possível criar em Portugal uma clínica como a “Lenitudes – Centro Médico e de Investigação”.