Projecto da autarquia e de parceiros locais venceu a concorrência de 16 municípios. No próximo ano, será potenciada a marca gastronómica do concelho Projecto da autarquia e de parceiros locais venceu a concorrência de 16 municípios. No próximo ano, será potenciada a marca gastronómica do concelho D. R.

Oliveira de Azeméis, 16 de Dezembro de 2014 

Por Alberto Oliveira e Silva

Oliveira de Azeméis é a primeira “Terra de Culinária”

Em 2015, Oliveira de Azeméis será a “Terra de Culinária” (TC), distinção conquistada em disputa com mais 16 municípios, que integraram a edição inaugural do concurso lançado pela Associação “Apetece”, entidade sediada em Vila Real, que promove o turismo de culinária.

As Terras de La Salette ostentarão a marca TC durante o próximo ano, tendo, depois, que voltar a lutar pela manutenção deste estatuto.

Temos alicerces fortes para exibir esta marca”, vincou Hermínio Loureiro, na apresentação do programa que concretizará a iniciativa. O presidente da câmara oliveirense disse acreditar que “Oliveira de Azeméis vai superar as expectativas” neste domínio.

A certificação do Pão de Ul – e da Regueifa de Ul -, a criação de uma publicação (um receituário) online, a realização da primeira edição do “Concurso de Gastronomia de Oliveira de Azeméis” e o aproveitamento dos eventos “Mercado à Moda Antiga” e “Há Festa na Aldeia” como factores de dinamização do turismo gastronómico foram apontados pelo vereador Pedro Marques como apostas operacionais.

O responsável pelo turismo no executivo municipal acrescentou ao programa previsto “uma aposta forte” nos predicados do Parque Temático Molinológico de Ul e o desenvolvimento de um plano de promoção e de marketing que saliente a excelência da “mesa” concelhia.

Que 2015 seja o ano identificativo da qualidade gastronómica de Oliveira de Azeméis”, pediu, à laia de perspectiva, o vereador.

Hermínio considerou que o município tem todas as condições para estar à altura da distinção, tendo enumerado não apenas o Pão de Ul – “o melhor pão do mundo!” -, mas também outros fortes activos, como o arroz, os lacticínios, os produtos do campo e especificidades como as Papas de S. Miguel.

O presidente deixou a convicção de que, com o empenho de parceiros como os hotéis, os restaurantes, a Confraria das Papas de S. Miguel e de outros – que já colaboraram na conquista do galardão -, será possível aumentar o número dos que virão a terras oliveirenses “por motivo” de uma culinária que também é “um factor distintivo do concelho”.

José Borralho, presidente da “Apetece” salientou a qualidade da candidatura de Oliveira de Azeméis. Acentuou que recebeu do júri, o qual integrava elemento do Turismo de Portugal, nota máxima em todos os parâmetros de avaliação.

Certo de que apenas agora Portugal “começa a aperceber-se das potencialidades que tem” no desenvolvimento de um turismo em que a vertente gastronómica assume estatuto principal, sublinhou que as Terras de La Salette souberam entender um conceito que faz da culinária um ponto de confluência de parceiros, de áreas de atracção e de vontades, visando o incremento da actividade turística.

Ainda convidou o município para o Congresso Mundial de Turismo de Culinária, que se realizará em Abril do próximo ano, no Estoril.