As responsáveis directas pelo projecto e os dois artesãos contratados As responsáveis directas pelo projecto e os dois artesãos contratados D. R.

Economia, 19 de Junho de 2014 

Por Redacção

“Feltrando” abre loja na Oliva Creative Factory

A loja do projecto “Feltrando” – inaugurada recentemente – está de portas abertas para o consumidor, na Oliva Creative Factory (OCF), em S. João da Madeira.

Estão disponíveis três linhas de produtos: Design de acessórios de moda “Miss Olive”; Redesign de mobiliário “FeltReMade”; e Design de produto “FeltHome”.

Sob coordenação da escultora Filomena Almeida, os “artesãos” agregados a este projecto desenvolvem trabalho de investigação e produção a partir dos conceitos de redesign e de design sustentável, tendo o feltro como protagonista.

O “Feltrando” iniciou actividade em 2011 como ateliê ocupacional no âmbito da “Trilho”, a unidade de apoio a toxicodependentes e seropositivos da Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira.

Dirigiu o seu trabalho para toxicodependentes e alcoólicos em processo de recuperação, visando, nomeadamente, a sua recuperação profissional.

Branca Correia, da “Trilho”, explicou que a iniciativa surgiu na sequência de um diagnóstico social realizado nos concelhos de S. João da Madeira e de Oliveira de Azeméis.

Assinalou a referenciação de 300 indivíduos, que às patologias antes citadas somavam situações de desemprego, quando não de total incapacidade em regressar ao mundo laboral. Também integravam “famílias desestruturadas”.

Os integrantes da “Feltrando” têm treinado o “saber-estar”, nomeadamente em contexto laboral, e têm podido auto-valorizar-se, através dos frutos do seu labor.

A loja na OCF corporiza a vertente de “empreendedorismo social” do projecto, permitindo a manutenção de dois postos de trabalho.

Filomena Almeida realçou o “voluntariado ocupacional” de que beneficiou a iniciativa, assim como destacou a diversidade da formação disponibilizada, sob a forma de diversos ateliês.

Pais Vieira, provedor da Misericórdia sanjoanense, Rui Cruz, director da segurança social de Aveiro, e Ricardo Figueiredo, presidente da câmara municipal, acentuaram a originalidade do” Feltrando”, enfatizando-lhe a dimensão de abrir novos caminhos de integração.