Sociedade, 12 de Fevereiro de 2014 

Por Alberto Oliveira e Silva

Vale de Cambra comemora 500 anos do foral manuelino

Vale de Cambra comemorou na passada segunda-feira os 500 anos do foral à “Terra de Cambra”, atribuído a 10 de Fevereiro de 1514 por D. Manuel I, o “Rei Venturoso”.

Refira-se que o dia festivo assinalou o início de um programa que, envolvendo a comunidade escolar, as associações e os artistas locais, pretende motivar os valecambrenses para um reforço da coesão comunitária através da realização de palestras, exposições e espectáculos temáticos.

A celebração decorreu em Maceira de Cambra, a vila onde o concelho nasceu, sendo de destacar a recriação histórica da assinatura do foral, encenada, em duas sessões, no Centro Cultural, pela companhia de teatro “Vivarte”.

A autarquia local, em conjunto com crianças das escolas, colocou coroas de flores no simbólico Pelourinho e ficou patente no Museu Municipal um exposição sobre esta efeméride.

Estamos a homenagear todos quantos ajudaram a fundar o concelho, construíram a comunidade que somos e fizeram a nossa identidade”, salientou José Pinheiro, na sessão solene que assinalou a data.

O presidente da Câmara expressou o desejo de que os actos comemorativos “tenham um significado especial”, sublinhando que deverão “reforçar a união dos valecambrenses”.

Realçando que o foral manuelino “não foi a carta de fundação do concelho, que já existia”, considerou, contudo, que o documento outorgado pelo Venturoso “veio renovar a legalidade da comunidade, conferindo e reforçando os deveres e os direitos deste território perante o poder régio”.

José Pinheiro lembrou que, se o futuro é importante, “não é de menor importância a atenção que devemos dar ao conhecimento do passado, que muito se repercute no que hoje somos”.