Responsáveis árabes distinguem Raquel Oliveira, a presidente do ISPAB Responsáveis árabes distinguem Raquel Oliveira, a presidente do ISPAB D. R.

Santa Maria da Feira, 28 de Janeiro de 2014 

Por Alberto Oliveira e Silva

ISPAB é face portuguesa de projecto de cooperação euro-árabe

O ISPAB (Instituto Superior de Paços de Brandão) acolhe esta semana a quinta reunião de acompanhamento “MAPEC”, um projecto do Programa “Tempus” da União Europeia que visa o estabelecimento de mestrados sobre engenharia do ambiente e alterações climáticas em três universidades da Jordânia e em três universidades da Síria.

Esta iniciativa conta com a parceria de instituições do Ensino Superior da Alemanha e da Áustria, assumindo aquele Instituto do município de Santa Maria da Feira a representação portuguesa.

No Médio-Oriente, não temos experiência suficiente sobre estas matérias”, disse Ahmed Al-Salaymeh, director do Centro para a Água, a Energia e o Ambiente, da Universidade da Jordânia, citado pelo Diário de Aveiro.

Salientando que as alterações climáticas, e em especial o aquecimento global, são “um problema internacional”, o académico do Reino Hachemita concretizou que o MAPEC visa incrementar o ensino da engenharia ambiental no sistema de ensino superior dos dois países árabes.

O professor Al-Salaymeh realçou que “este projecto beneficia da experiência dos parceiros europeus”, incluindo de empresas que trabalham directamente com as questões ambientais e com a legislação que é aplicável ao sector.

Realçou, ainda, que a rede de parceria euro-árabe neste domínio contemplará o trabalho dos futuros mestres jordanos e sírios em empresas da União Europeia que se deverão envolver em projectos de engenharia e gestão ambiental naqueles países.

Questionado directamente sobre a importância da gestão dos recursos hídricos – problema crónico no Médio Oriente -, o responsável da Universidade da Jordânia assinalou que “a carência de água” é, de facto, um dos maiores problemas do seu país, realçando que a água, a energia e o meio ambiente são as três linhas de força do projecto MAPEC.

Ahmed Al-Salaymeh considerou que “Portugal tem bons conhecimentos neste domínio” e perspectivou a vinda próxima de estudantes árabes para o nosso País.

Diamantino Lopes, coordenador do projecto no Instituto brandoense, explicou que esta iniciativa tem sido avaliada de seis em seis meses, tendo o seu término em data a marcar no corrente ano e, provavelmente, em Amã, a capital da Jordânia.

Nas boas-vindas formais, Raquel Oliveira, presidente do ISPAB, sublinhou que esta parceria poderá ser um pontapé-de-saída para outros projectos. Realçou que o MAPEC se enquadrou no projecto de internacionalização da instituição.