Um dos filmes premiados teve a participação do cineasta Manuel Matos Barbosa, de Oliveira de Azeméis Um dos filmes premiados teve a participação do cineasta Manuel Matos Barbosa, de Oliveira de Azeméis EDVI

Cultura, 12 de Junho de 2013 

Por Redacção

Amazónia premeia cinema produzido em Avanca

O “4º Curtamazônia – Festival de Cinema” que decorreu na cidade Porto Velho no Brasil acaba de premiar dois filmes portugueses produzidos pelo Cine-Clube de Avanca e Filmógrafo.

“A Nau Catrineta”, de Artur Correia, recebeu o prémio “Melhor Filme Estrangeiro de Curta-metragem de Animação” e “Nós na rua”, de Luís Margalhau, “Melhor Filme Estrangeiro de Média-metragem”.

O “Curtamazônia” aconteceu na capital do estado de Rondônia no Norte do Brasil e entregou os prémios neste fim-de-semana, em cerimónia que decorreu na Praça Aluizio Ferreira.

A cidade Porto Velho, que anteriormente pertenceu ao Estado da Amazónia, é hoje a cidade que regista o maior crescimento económico do Brasil.

O filme “A Nau Catrineta”, que esteve recentemente na selecção oficial do 53ª Festival de Zlin na República Checa (considerado o maior evento mundial do cinema para os mais novos), teve a sua estreia no festival AVANCA 2012.

Realizado por Artur Correia (o decano do cinema de animação português), o filme “A Nau Catrineta”, é uma adaptação de uma obra maior da chamada “literatura de cordel”.

“A Nau Catrineta” inscreve-se nas tragédias marítimas da história Portuguesa durante os descobrimentos e é demostrativo das profundas crenças cristãs dos nossos marinheiros.

Animada por Vítor Lopes, participada por Manuel Matos Barbosa, produzida por António C. Valente, musicada por Joaquim Pavão e narrada por Fernando Mendonça, esta curta-metragem foi apoiada financeiramente pela SEC/ICA e pela RTP.

“Nós na rua” de Luís Margalhau é um documentário que acompanha quatro músicos e um bailarino de samba tradicional que diariamente ocupam a baixa pombalina para fazer dela o seu palco. Um filme sobre artistas de rua, procurando saber quem são, porque o fazem e o que fazem. Com eles, o filme regista aplausos, críticas e a reprovação da autoridade. No filme parece que a arte faz parte da vida, mas entre a sociedade e a cultura, o conflito é inevitável.

Luís Margalhau teve o apoio na imagem de João de Goes e Paulo Gomes, o som é de Cláudio Francisco e este é o segundo prémio atribuído a este filme, que teve a sua estreia no último festival AVANCA 2012.

Entretanto, dois outros filmes produzidos pelo Cine-Clube de Avanca e Filmógrafo foram distinguidos recentemente na primeira edição do “Festival Filhos da Curta”, que decorreu em Sandim.

Neste evento, o vencedor foi o filme de animação “O relógio de Tomás”, de Cláudio Sá, que foi distinguido com o Prémio do Júri e Prémio do Público.

O filme “O Conto do Vento”, de Cláudio Jordão e Nelson Martins, recebeu também uma Menção Honrosa.

Todos estes filmes tiveram a sua estreia no Festival de Cinema AVANCA, cuja edição deste ano irá acontecer entre 24 e 28 de Julho próximo.