O orçamento da 13ª edição é de 250 mil euros. “Um investimento”, sublinhou Emídio Sousa, o vice-presidente da Câmara Municipal, que elevou Santa Maria da Feira à condição de “capital da criatividade” O orçamento da 13ª edição é de 250 mil euros. “Um investimento”, sublinhou Emídio Sousa, o vice-presidente da Câmara Municipal, que elevou Santa Maria da Feira à condição de “capital da criatividade” Alberto Oliveira e Silva

Cultura, 8 de Maio de 2013 

Por Redacção

IMAGINARIUS regressa para reafirmar a “capital da criatividade”

A “Jangada de Pedra” é a proposta do “Teatro O Bando” para a edição deste ano do IMAGINARIUS – Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira, que decorrerá entre 24 e 26 de Maio.

Esta companhia pegou na obra de Saramago para, em tempo de crise sem fim à vista, relançar a questão portuguesa: “Para Onde Vamos?”.

É uma tentativa metafórica de falarmos destas coisas”, salientou João Brites, da direcção artística do grupo, que marcou presença na apresentação pública do Festival, realizada ontem nas instalações do antigo Matadouro Municipal da Feira – espaço que também serve de base à criatividade inerente a este evento.

Ir além do que “é visível” e buscar a felicidade de que o País necessita, (re)puxando para a ribalta um Sul que nos moldou em “intersecções” culturais é a proposta que poderá ser vista logo no dia inaugural, a partir das 21.45 horas, no Rossio.

O “Baile das Bicycletas”; os “Urban Ballets”, um projecto a quatro países – Portugal, França, Irlanda e África do Sul; a ‘Diorama Cork Faktory’, de VHILS, que valoriza a cortiça; e “The Invasion”, a invasão de um colorido grupo vindo da Eslovénia são outras propostas a relevar.

A vereadora Cristina Tenreiro definiu o IMAGINARIUS como “um palco de experiências, de criação de emoções e de sonho!”. Entre as “linhas estratégicas” que lhe assacou, assinale-se “a capacitação das estruturas artísticas locais” e o “estímulo” à criação de espectáculos e apresentações “originais”.

Destacou o “Mais IMAGINARIUS”, que seleccionou 23 projectos de jovens artistas, que também darão cor às ruas do centro histórico da Feira, visando lançar para o espaço público “propostas arrojadas”, que interpelem.

Hugo Cruz, o director artístico do festival, considerou, mesmo, que o “Mais” estará “na linha da frente” de um certame que também contará com Instalações e que organizará cinco workshops.

O orçamento da 13ª edição é de 250 mil euros. “Um investimento”, sublinhou Emídio Sousa, o vice-presidente da Câmara Municipal, que elevou Santa Maria da Feira à condição de “capital da criatividade”.

Acentuou que dentro de dois meses será previsível que se iniciem as obras de edificação da “Caixa das Artes”, estrutura que vê como “o passo seguinte” num caminho de reforço das produções artísticas e culturais de “marca Feira”.

Produzir [espectáculos e apresentações], apresentar e vender” será o “grande desafio” que, a ser vencido, poderá tornar sustentável financeiramente o IMAGINARIUS.