“A minha horta é um jardim” enquadra-se no projecto “Há Festa na Aldeia” “A minha horta é um jardim” enquadra-se no projecto “Há Festa na Aldeia” D. R.

Oliveira de Azeméis, 27 de Maio de 2013 

Por Redacção

Hortas como “elementos diferenciadores” das Aldeias de Portugal em Terras de Santa Maria

Ao lançar a iniciativa “A minha horta é um jardim”, a Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM) quer ver “novos factores de atractividade” nas aldeias classificadas como Aldeias de Portugal em Terras de Santa Maria.

A horta é um elemento caracterizador de cada aldeia e o facto de a podermos melhorar vai, com certeza, torná-la ainda mais apelativa”, disse a coordenadora da ADRITEM, Teresa Pouzada.

O primeiro passo para a concretização deste desiderato passa pela dinamização de workshops, tendo em vista valorizar os pequenos espaços agrícolas dos habitantes das povoações, estimulando o ordenamento, estética e até a introdução de novas sementeiras e plantações.

São workshops à medida de cada um dos participantes, garantindo um conjunto de ensinamentos, técnicas e aconselhamento ao nível de algumas produções, através do apoio de uma engenheira agrónoma e de uma arquitecta paisagista”, explicou.

“A minha horta é um jardim” – a decorrer entre 15 de Maio e 15 de Junho – enquadra-se no projecto “Há Festa na Aldeia”, dinamizado pela ADRITEM, em parceria com os municípios de Albergaria-a-Velha, Gondomar, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira e Valongo.

Esta é mais uma forma de envolver as pessoas na construção deste projecto que queremos que seja partilhado por todos, diferenciando-se por factores de inovação introduzidos, valorizando as aldeias e fomentando a visita de turistas”, acrescentou Teresa Pouzada.

“Há Festa na Aldeia” é um projecto pioneiro de desenvolvimento do território, criando um novo foco de atractividade em espaços rurais com características próprias (aldeias de Areja, Porto Carvoeiro, Couce, Ul e Vilarinho de S. Roque).

O evento-âncora acontece entre Julho e Setembro, com um cartaz diferenciado nas cinco aldeias, que ambiciona “conquistar novos visitantes numa lógica de assegurar a revigoração das terras e das gentes”.

O projecto propõe “o envolvimento activo da população estimulando os usos e costumes, as tradições culturais e a gastronomia”.

Cinco eixos fundamentais moldam este programa – valorização do património natural e paisagístico; reforço do tecido económico e criação de emprego; desenvolvimento do sector turístico; valorização do património rural; melhoria dos serviços sociais e culturais.