Este fórum, organizado pela Sanjotec – Centro Empresarial e Tecnológico de S. João da Madeira, foi criado com o objectivo de ser uma plataforma de estímulo ao empreendedorismo Este fórum, organizado pela Sanjotec – Centro Empresarial e Tecnológico de S. João da Madeira, foi criado com o objectivo de ser uma plataforma de estímulo ao empreendedorismo D. R.

S. João da Madeira, 28 de Maio de 2013 

Por Alberto Oliveira e Silva

“Facilidades” ilusórias são inimigas das empresas

Cuidado com as facilidades!”. Fernando Pinho Teixeira, o “construtor” do Grupo FERPINTA, foi o primeiro palestrante das “Tertúlias TECNET” e avisou a nova geração de empreendedores de que “nunca devem acreditar nos políticos, nem nos bancos”, antes devem apostar na estruturação de projectos de negócio devidamente sustentados e baseados num profundo de dinâmico conhecimento dos sectores escolhidos.

Este fórum, organizado pela Sanjotec – Centro Empresarial e Tecnológico de S. João da Madeira, foi criado com o objectivo de ser uma plataforma de estímulo ao empreendedorismo, baseando-se na partilha de experiências inter-geracionais entre empresários de sucesso e jovens empreendedores.

Surge na sequência do ‘TECNET – Business Camp”, que se realizou em Dezembro do ano passado na Torre da Oliva e que foi participado por mais de 80 empresas da rede nacional de Parques de Ciência e Tecnologia.

Tendo apresentado a sua história de vida, feita “a pulso”, tal como a sua história de empresário, o comendador da FERPINTA usou, como sempre, da paixão pelo trabalho para transmitir a noção de que subsídios estatais e ilusórias facilidades no crédito bancário são mais obstáculos do que apoios para as empresas.

Nunca pensei em ajudas do Estado e sempre fiz investimentos conscientes”, acentuou o homem que criou um gigante empresarial que, a partir de Carregosa, freguesia de Oliveira de Azeméis, se tem estendido pelo mundo, com negócios estruturados em Angola e Moçambique, por exemplo. E com exportações para todo o globo.

Em tempo de contenções várias, Fernando Pinho Teixeira também avisou que “não é a baixar os ordenados que se resolverão os problemas do País”. Vincou que, nas suas empresas, os trabalhadores não precisam de reivindicar aumentos: “Eu é que dou ordens para que se aumentem os ordenados a quem merece”.