As instalações estão localizadas no centro de saúde local As instalações estão localizadas no centro de saúde local D. R.

Arouca, 15 de Novembro de 2012 

Por Redacção/EDVI

Serviço de urgência básica não vai fechar em Arouca

O Serviço de Urgência Básica (SUB) de Arouca “não irá fechar“, havendo a garantia por parte da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) de que irá “regressar à normalidade a curto prazo”, afirmou o presidente da autarquia, José Artur Neves.

Foi-nos reafirmado pelos responsáveis que o serviço não é para fechar. Tem é um problema pontual, que decorre da dificuldade de contratualização de alguns serviços, por força dos condicionamentos da Lei dos Compromissos”, disse o autarca que reuniu recentemente com a ARSN.

Arouca também padece da falta de médicos, pelo que este serviço é fundamental para o equilíbrio dos cuidados de saúde no município”, lembrou. “Recentemente, vimos a continuidade deste serviço ameaçada. Com o fim do contrato de prestação de serviços com os profissionais que ali trabalham, a 08 de Outubro, Arouca correu o risco de perder um serviço básico e absolutamente essencial para a qualidade de vida da sua população. Desse processo, resultou a dispensa de quatro dos cinco técnicos de radiologia, sem qualquer aviso prévio, ficando Arouca desprovida desta valência, um caso único entre os 41 SUB nacionais”, sublinhou o presidente da Câmara Municipal.

“Desprovida de um acesso condigno aos grandes centros, e com a ameaça de perda deste serviço básico, Arouca parecia estar a ser remetida ao interior esquecido e ostracizado, sem o mínimo essencial para que os arouquenses sintam que vale a pena fazermos sacrifícios em favor de um Estado que não os apoia no mais básico, entre o que se inclui, obviamente, a saúde”, salientou.

O SUB de Arouca entrou em funcionamento em Outubro de 2009, tendo sido oficialmente inaugurada a 27 de Abril de 2010, com a necessária qualidade de meios técnicos e de diagnóstico ao dispor do pessoal médico e de enfermagem.

Este serviço foi uma conquista dos arouquenses, que, dessa forma, têm cuidados de saúde de proximidade, já que a deslocação ao centro hospitalar mais próximo (no caso, Santa Maria da Feira) é, como sabemos, extremamente difícil e, em muitos casos, de risco”, acrescentou José Artur Neves.

Os SUB são serviços que estão 24 horas ao serviço das populações, com médicos e enfermeiros em permanência, e com meios de diagnóstico e de prevenção (radiologia, análises clínicas, desfibrilador) que garantem respostas efectivas, em situações de emergência médica.