Natural de Santa Maria da Feira, Suzana Cavaco é actualmente docente de Ciências da Comunicação na Universidade do Porto Natural de Santa Maria da Feira, Suzana Cavaco é actualmente docente de Ciências da Comunicação na Universidade do Porto EDVI

Santa Maria da Feira, 24 de Setembro de 2012 

Por Redacção/EDVI

Livro de Suzana Cavaco analisa bastidores da imprensa no marcelismo

O período da governação marcelista assistiu “a manobras de bastidores” que conduziram à aquisição de jornais diários por parte de grandes grupos económicos, revela o livro da antiga directora da Escola Superior de Jornalismo (Porto), Suzana Cavaco.

A obra, que traça o panorama dos media em Portugal entre 1968 e 1974, desvenda as teias de interesses que se desenhavam na época entre o poderes político, económico e mediático.

O conhecimento actual do período marcelista ainda está longe de estar completo”, afirma Suzana Cavaco, sublinhando que o trabalho “procura descortinar as relações complexas (cumplicidades, conflitos, interdependências, contradições) que se estabeleceram entre, por um lado, o Governo e os actores media (isto é redactores, chefes de redacção, directores, administradores e proprietários) e, por outro lado, entre o Governo e os grupos económicos”.

O livro “Mercado Media em Portugal no Período Marcelista”, a lançar esta segunda-feira, é o resultado da tese de doutoramento em História que a autora – sob orientação de Jorge Fernandes Alves e Marcelo Rebelo de Sousa – defendeu recentemente na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A investigação, agora editada pelas “Edições Colibri”, mereceu aprovação (por unanimidade do júri) com distinção e louvor.

Este estudo contribui para um aprofundamento no conhecimento do negócio dos media no contexto de um regime autoritário”, salienta a autora natural de Santa Maria da Feira, dando conta de que a investigação “tira partido da recolha de informação de diversas fontes, em especial da correspondência privada e pública disponível e de testemunhos actuais de alguns dos protagonista”.

O desempenho da assessoria de comunicação de Marcello Caetano e seu Governo na preparação das “legislativas” de 1969, o trabalho jornalístico durante a censura ou as questões de deontologia quer em jornalismo quer em assessoria de comunicação, são outros dos temas dissecados.

Actualmente docente de Ciências da Comunicação na Universidade do Porto, Suzana Cavaco é também investigadora do Centro de Investigação Media e Jornalismo (CIMJ).

Doutorada em História, mestre em Relações Históricas entre Portugal, Brasil, África e Oriente e licenciada em Comunicação Social, a autora foi directora da Escola Superior de Jornalismo, do Porto, entre 2001 e 2006.