Maria Alice, Jonathan Silva e António Janardo Maria Alice, Jonathan Silva e António Janardo EDVI

Economia, 23 de Março de 2012 

Por Redacção/EDVI

De pequena fábrica de sapatos para referência na exportação

A empresa A. Silva, do sector do calçado, exporta 98 por cento da sua produção e prepara a penetração em novos mercados extra-comunitários.

A firma de S. Roque (Oliveira de Azeméis) assinala esta sexta-feira 36 anos desde que António Janardo tomou conta da pequena oficina de seu pai, até então apenas fornecedora do mercado nacional.

 “Quando assumi a empresa lancei-a para a exportação, porque achava que mais tarde viria a colher os frutos desta decisão, aumentando o volume de negócios e assegurando a sua solidez económica”, disse à EDV Informação o empresário de 73 anos, que passou o testemunho a Jonathan Silva, um jovem designer que administra agora a “A. Silva”.

Detentora da marca Andrea Tokio, a unidade industrial exporta sobretudo para países europeus – principalmente França -, tendo em carteira contactos comerciais em mercados emergentes, como a China, Angola, Rússia ou os Estados Unidos da América.

Temos que ser ambiciosos e persistentes na busca de novos mercados, embora mantendo sempre os pés bem assentes na terra, pois o sector tem futuro, mas que ninguém pense em facilidades”, sublinhou António Janardo, que mesmo sem exercer qualquer cargo de gestão continua a ir todos os dias à empresa.

A fábrica sempre apostou na qualidade. Esse foi o nosso lema e, de há alguns anos para cá, reconheço que melhorou ainda mais graças ao exaustivo trabalho da minha mulher, Maria Alice, que elevou ao mais alto nível o patamar da produção”, destacou.

Empregando 33 pessoas e com uma previsão de facturação para 2012 de cerca de 2,5 milhões de euros, a “A. Silva” tem em fase de expansão o departamento comercial, entretanto autonomizado com a criação da “Jycalcado”.

Além da Andrea Tokio, está em desenvolvimento uma nova marca de sapatos de senhora destinada ao segmento médio/alto, numa aposta de moda e conforto como, aliás, é apanágio da “A. Silva”.

As nossas botas são da mais alta qualidade e competem com o melhor que se faz no mundo», salientou Jonathan Silva. «É essa sabedoria que vem dos tempos de António Janardo – a quem devo quase tudo do que sei – que queremos manter, honrando o prestígio alcançado ao longo de décadas”, acrescentou o jovem administrador.