Emídio Sousa (ao centro na foto) é o presidente da ADRITEM Emídio Sousa (ao centro na foto) é o presidente da ADRITEM D. R.

Economia, 6 de Fevereiro de 2012 

Por Redacção/EDVI

PRODER atribui reforço de 2,2 milhões de euros à ADRITEM

A autoridade de gestão do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER) atribuiu um reforço financeiro de cerca de 2,2 milhões de euros à Associação de Desenvolvimento Rural Integrado das Terras de Santa Maria (ADRITEM).

A verba junta-se aos 8,7 milhões inicialmente conferidos para a implementação do “subprograma 3” (dinamização das zonas rurais) do PRODER no território onde a instituição actua – freguesias rurais dos concelhos de Albergaria-a-Velha, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Gondomar e Valongo.

Desta forma, quase 11 milhões de euros de despesa pública, sobre a forma de subsídio não reembolsável, permitem que a ADRITEM apoie pequenos investimentos na área do turismo, criação e desenvolvimento de microempresas e actividades complementares à exploração agrícola e, ainda, projectos de índole cultural, social e de valorização do património rural neste território”, refere fonte da associação, sedeada em Cesar (Oliveira de Azeméis).

O presidente da ADRITEM, Emídio Sousa, sublinhou que “das 47 entidades gestoras da ‘abordagem Leader’/subprograma 3 do PRODER ao nível nacional, apenas 20 foram premiadas com este reforço financeiro proveniente da reserva de eficiência do programa”.

Decorridos dois concursos (2009 e 2010), estão já comprometidos 5,5 milhões de euros em 47 projectos aprovados pela ADRITEM, que no final de 2011 promoveu o terceiro concurso, cujo prazo para a apresentação de candidaturas termina no próximo dia 31 de Março.

O PRODER é um instrumento estratégico e financeiro de apoio ao desenvolvimento rural do continente, para o período 2007-2013.

O programa – aprovado pela Comissão Europeia – visa “aumentar a competitividade dos sectores agrícola e florestal; promover a sustentabilidade dos espaços rurais e dos recursos naturais; e revitalizar económica e socialmente as zonas rurais”.