Leandro Melo (director-geral do CTCP), Alfredo Jorge Moreira (director executivo da APICCAPS) e Domingos Neto (presidente do CTGCP) Leandro Melo (director-geral do CTCP), Alfredo Jorge Moreira (director executivo da APICCAPS) e Domingos Neto (presidente do CTGCP) Manuel Correia

Economia, 2 de Março de 2011 

Por Redacção/EDVI

Fileira do calçado ambiciona contribuir para aumento da eficiência energética

 

A energia necessária para as actividades industriais pode ser obtida de uma forma limpa, renovável e economicamente sustentável, contribuindo para o aumento da eficiência energética, defendeu o director executivo da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes e Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS), Alfredo Jorge Moreira.

Uma das linhas de orientação do sector é precisamente desenvolver produtos e tecnologias de fabrico que sejam amigas do ambiente e compatíveis com a preservação dos nossos recursos naturais”, disse.

Alfredo Jorge Moreira falava na terça-feira aos jornalistas à margem da apresentação de um plano de acção para as energias renováveis e eficiência energética na fileira do calçado destinado a “assegurar melhores níveis de produção e aumentar a competitividade”.

O trabalho – elaborado pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto (INESC Porto) – pretende “lançar pistas, efectuar sugestões e propor uma redução generalizada da factura energética”.

Segundo o director executivo da APICCAPS, o plano “vai determinar, com rigor, quais são as áreas e os segmentos do processo produtivo em concreto onde se podem obter ganhos de eficiência energética, não só para reduzir custos e aumentar com isso a produtividade e a competitividade, mas também numa perspectiva de eco-eficiência”.

A utilização de um sistema de monitorização de energia com uma plataforma de consumo capaz de informar – automaticamente e em tempo real – os responsáveis da empresa aquando da ocorrência de consumos anómalos, o recurso a temporizadores programáveis para ligar sistemas apenas quando necessário e a execução de operações de manutenção são algumas das propostas idealizadas neste plano, apresentado no Centro Tecnológico do Calçado de Portugal, em S. João da Madeira.