A iniciativa engloba 60 “stands” de instituições que desenvolvem intervenção social no concelho e na região A iniciativa engloba 60 “stands” de instituições que desenvolvem intervenção social no concelho e na região Manuel Azevedo

Santa Maria da Feira, 19 de Janeiro de 2011 

Por Redacção

Apostar na área social como forma de responder à crise económica

“A crise que assola o País deve ser uma preocupação de todos. Sabemos efectivamente a importância que tem o apoio social para algumas famílias do concelho”, disse à EDV Informação o presidente da Câmara de Santa Maria da Feira, Alfredo Henriques.

Referindo que a área social “é um dos sectores sem cortes no orçamento municipal”, o autarca sublinhou o papel da rede social de Santa Maria da Feira, “uma das mais bem organizadas do País”.

Alfredo Henriques falava à margem da abertura da segunda edição do Mosaico Social, um encontro concelhio de boas práticas de intervenção social a decorrer até esta quinta-feira.

A iniciativa engloba 60 “stands” de instituições que desenvolvem intervenção social no concelho e na região.

Esta segunda edição propõe “uma reflexão conjunta sobre o contributo das organizações da Economia Social na definição de políticas sociais, bem como os desafios que se colocam a estas entidades, e formas de gestão conducentes à sua sustentabilidade, qualidade e contínua inovação social”.

O Mosaico Social pretende ainda assinalar os dez anos do plano “Raízes do Afecto”, onde se incluem todas as dinâmicas e projectos destinados à população sénior.